domingo, 30 de agosto de 2009

PENSE NISSO

O que aconteceria se o Brasil se tornasse um polo mundial de Pesca Esportiva?
Será que haveria lucros extraordinários, como nos EUA?
Nossa organização seria capaz de manter a natureza preservada, juntamente com os que nela habitam?
Teríamos a coragem de criar leis e normas que regulamentassem as atividades de pesca esportiva em nosso país?
Seria feito um estudo prévio e minucioso dos impactos ambientais?
Haveria consenso das partes envolvidas governo, empresários, pescadores e comunidade?
Essas são algumas das muitas perguntas que venho fazendo a mim mesmo, isso desde que comecei a praticar a pesca esportiva há dez anos atrás. Algumas dessas perguntas eu até arrisco responder, mas as outras tantas eu penso com um certo receio.
Cheguei até a fazer um curso de técnico em turismo, para entender como profissional como seria a pesca esportiva como segmento do turismo, com suas normas e infra-estrutura necessária.
Com certeza esclareci muitas dúvidas, mas também surgiram outras perguntas, pois tive acesso a leis e processos ambientais que protegem isso e proíbem aquilo. Pude ver que as coisas não são tão simples assim.
Para se realizar certos empreendimentos que envolvem exploração e uso de recursos naturais, é preciso que estejamos cientes e orientados de todos os riscos que isso possa acarretar primeiro para o meio ambiente no todo e depois para os que irão se utilizar destes recursos.
É claro que a pesca esportiva trará inúmeros benefícios, e irá desenvolver várias áreas de nosso país e dar condições dignas de vida a muita gente. Mas por quanto tempo.
Dizemos que nada dura para sempre, e se fizermos da melhor maneira e ensinarmos os próximos a fazerem do mesmo modo. Com certeza nós não viveremos para sempre, mas manteremos a estrutura sempre renovada e preservada, podendo ser utilizada por vários em várias gerações.
Eu nasci e resido na chamada região dos grandes lagos, onde estão os rios Paraná, São José dos Dourados, Tietê, Paranaíba e Grande entre outros, sem falar em quantidade posso afirmar que é muita, mas muita água e onde caberia muito mais peixe ainda.
Por mais de três décadas vejo as mudanças em nosso ecossistema, o desaparecimento de diversas espécies de peixes e animais nativos, e os aparecimentos de outras, a especulação imobiliária, a destruição das matas ciliares e o assoreamento de nossos rios.
Penso como seria maravilhoso se tivéssemos um complexo de pesca esportiva na região dos grandes lagos, muitos peixes e milhares de turistas movimentando a economia local e regional, vários empregos diretos e indiretos seria gerados. Eu como pescador esportivo acharia ótima minha diversão de final de semana estaria garantida.
Mas como profissional de turismo penso como seria!
Haverá leis para regulamentar e orientar os pescadores, empresários, profissionais.
(guias de pesca), essas pessoas seriam orientadas de como devem preservar os recursos naturais, e que os peixes são mais valiosos vivos.
Pode parecer demais para se fazer uma simples pescaria, mas são as leis que ainda impedem façamos muitas coisas erradas como destruir a natureza e extinguir as poucas espécies de animais que ainda restam em nosso planeta Além do mais imagine como seria fácil se cada região cuidasse de sua atividade de pesca esportiva, temos que lembrar que o Brasil tem oito mil Km de costa marítima e 5 grandes bacias hidrográficas com milhares de pequenos rios desaguando nelas.
Então o que seria preciso para que o Brasil se tornasse um polo de pesca esportiva mundial?
Peixes e locais ideais para pesca dos mesmos/
Rios preservados e limpos e um bom litoral?
Mão de obra especializada para atender os pescadores brasileiros e estrangeiros?
Não acho que esses sejam os fatores que impediriam que isso acontecesse, com certeza temos todos eles.
Talvez a falta de cuidado ao criarmos as leis e normas, o livre acesso aos recursos naturais sem um estudo minucioso dos impactos causadores de degradação, a não preocupação com a manutenção e tempo de renovação do meio ambiente e suas adaptações às novas condições, e a ganância de se obter lucros a qualquer jeito.
O respeito com aquilo que nos foi dado para usufruirmos e não destruirmos é a natureza e tudo o que ela nos dá esperando apenas nosso respeito e cuidado.
Na minha opinião o Brasil tem tudo para se tornar o maior polo de Pesca Esportiva do mundo, desde que nós brasileiros saibamos valorizar e defender o que é nosso.

A pesca como segmento do turismo sustentável, pode tornar isso uma realidade.

Pense nisso.


Marcosfisherman

Um comentário:

Fatima disse...

Oi Marcos, achei muito interessante a forma como vc vê o turismo em nosso país, valorizando o meio ambiente, respeitando e defendendo sempre a natureza. gostaria de saber mais sobre esse assunto(projeto).
Fátima